Passear cães ansiosos e agitados, como proceder?

Woman walking her dog in the parkO simples ato de passear o seu cão não é assim tão simples! O passeio diário é fundamental para a saúde física e psicológica do seu cão. Os cães são animais que descendem dos lobos e apesar de o nosso cão doméstico apresentar muitos dos seus instintos primários desvanecidos, na verdade, ainda sentem uma necessidade extrema de sair com a matilha em busca de alimento, tal como os seus ancestrais lobos fazem quando necessitam de caçar para se alimentarem! A energia dispendida na caminhada, na busca e seleção da presa e durante a própria caçada é bastante superior à energia dispendida num simples passeio de 10 minutos! Se vai passear o seu cão e se pretende que este passeio tenha um efeito calmante, reduzindo sintomas como ansiedade, frustração, agitação, automutilação etc… então deverá arranjar disponibilidade para no mínimo, passear durante 30 a 50 minutos!

O seu cão é ansioso? facilmente excitável e agitado? É especialmente nervoso na altura do passeio? Como acalmá-lo antes de lhe colocar a coleira e trela? Em primeiro lugar é necessário ter noção de que a relação entre dono e cão durante o passeio é o reflexo da relação entre dono e cão em casa! Lembre-se que os cães assumem determinados comportamentos porque lhes foi permitido ou até ensinado, mesmo que por vezes não o quiséssemos ensinar de forma consciente! Se pretende alterar o comportamento de um cão ansioso e agitado, deverá recorrer a ajuda profissional. No entanto, existem vários procedimentos cuja aplicação prática contribuem para diminuir os sintomas de ansiedade e nervosismo.

Deverá iniciar por alterar a rotina de saída de casa, mesmo antes do passeio! pois é essencialmente este o momento que irá determinar como será o resto do passeio ou seja, se ao pegar na trela para passear o seu cão, ele comaça a pular, rodopiar e a ficar agitado e ansioso, então não deverá colocar a trela para sair. Se colocar a trela durante todo este comportamento, na verdade, estará a transmitir ao seu cão que aprova este comportamento, irá reforçá-lo e recompensá-lo. Para alterar o ritual de saída, adote alguns procedimentos de forma consistente:

1- Não incentive o seu cão a ficar ainda mais ansioso e agitado, evite usar palavras de excitação como: – vamos à rua? Queres ir passear? Vamos bobi, vamos dar um passeio! Anda cá menino vamos à rua! … O seu cão é um ótimo observador! ele sabe exatamente quando é altura de passear! Através da sua linguagem corporal e através de todas as ações rotineiras antes de um passeio, o seu cão já sabe que a hora do passeio se aproxima!

2- Deixe a trela num lugar visível para o cão no dia-a-dia ao invés de a mostrar somente na altura do passeio;

3- Mantenha a calma, seja paciente, espere que o cão se acalme, evite ficar frustrado com as dificuldades;

4- Use a trela na posição correta: à altura das orelhas na parte mais alta do pescoço. Esta posição ajuda a ter um maior controlo sobre o cão evitando que ele puxe em excesso, bastará um leve toque para que o cão sinta desconforto e abrande, mais tarde, não necessitará sequer de dar nenhum toque pois tornar-se-á um hábito para o seu cão acompanhá-lo ao lado durante o passeio.

5- Seja repetitivo e consistente! se o cão se acalmar e voltar a ficar agitado quando colocar a trela, retire a trela! tenha paciência… e repita o exercício;

6- Quando esta primeira etapa tiver sido ultrapassada e se o seu cão conhecer e executar o comando “senta”, dê o comando verbal de “senta” e após a sua correta execução, coloque a trela com calma e sem agitação. O seu cão deve permanecer sentado e calmo. Só deverá iniciar a marcha após você dar o primeiro passo;

7- Seja sempre o primeiro a passar por portas e portões;

8- Se ficar frustrado ou irritado, sem paciência para o comportamento agitado do seu cão, pare! Afaste-se e repita mais tarde quando se sentir mais calmo;

9- Arranje um comando verbal para que o seu cão perceba que poderá estar mais à vontade, dando-lhe mais trela. Ao sair de casa mantenha o seu cão junto a si com a trela controlada e caminhe para um local onde quer que este se alivie, e nesse local, use um comando verbal escolhido por si, ( “livre” por exemplo) e nesse momento, permita que o cão se afaste um pouco mais de si, mas sempre à trela para que o possa controlar! (lembre-se que um cão nunca deverá ser solto se não estiver apto a responder à chamada do dono obedientemente!);

10- Após o cão ter-se aliviado, inicie a sua caminhada de forma acelerada, não pare apenas porque ele pretende cheirar algo, ele só terá permissão para parar e cheirar algo, ou deitar-se ou brincar com um objecto, etc… após ter sido proferido o comando verbal mencionado no ponto 9;

11- Para controlar a caminhada junto a si, faça um exercício em zigue-zague, se o cão passar à sua frente, mude de direção, ele perceberá que terá que estar mais atento a si;

12 – A caminhada é essencial para canalizar a energia do seu cão e gastá-la. Vai ser esta canalização da energia no exercício que irá atenuar os seus sintomas de ansiedade e nervosismo, acalmando-o e deixando-o relaxado no final do passeio e nas 2 a 4 horas a seguir ao passeio; A longo prazo, a prática regular do exercício diário nos passeios de 30 – 50 minutos irá contribuir para que o seu cão apresente um comportamento mais calmo e tranquilo;

13- Cães de grande porte necessitam de caminhadas mais longas, de 40 a 50 minutos, cães de porte pequeno e médio poderão ficar satisfeitos com caminhadas de 30 a 45 minutos; Estes tempos de caminhada são meramente indicativos, pelo que, deverá aumentar o ritmo de caminhada e tempo de caminhada de forma progressiva, o seu cão precisará de se adaptar gradualmente à nova atividade física. Esteja atento a sinais de cansaço e desidratação, principalmente nas épocas do ano mais quentes;

14- Regra geral, evite sempre e em qualquer circunstância dar atenção ao cão quando ele estiver agitado e nervoso, não confunda felicidade com excitação! Aplique este princípio especialmente quando chega a casa;

15- Se tiver dificuldades ou não se sentir seguro durante a aplicação destes procedimentos, contacte um profissional na área do comportamento e adestramento canino, este poderá orientá-lo durante todo o processo.

Artigos relacionados

Não há comentários ainda.

Faça um comentário